Consultor Online      
Página Inicial | Na Mídia

DANRESA na Mídia

Anúncio DANRESA na revista EXAME PME

EXAME PME traz ideias, soluções e experiências que auxiliam os empresários de pequenas e médias empresas na condução de seus negócios e nos desafios do dia a dia.

Veja abaixo o anúncio da DANRESA na revista EXAME PME - outubro de 2011 e fevereiro de 2012 no Caderno de Negócios:

Anúncio DANRESA Consultoria na revista EXAME PME

Publicado na seguinte mídia:

 
revistas EXAME PME 2011/2012


Campanha DANRESA SPAMTITAN na revista Info de Agosto de 2011

Info é a revista de tecnologia número 1 do Brasil. Mais de meio milhão de pessoas buscam em Info informações quentes sobre tendências, tecnologia e internet.

Veja abaixo o anúncio da DANRESA divulgado na revista Info, edição 306, mês de agosto de 2011, na página 4 do Caderno i:

Campanha DANRESA Agosto de 2011

Publicado na seguinte mídia:

revista Info, ed. 306, em ago/2011
Acesse o site oficial SpamTitan, da DANRESA: www.spamtitan.com.br


Campanha DANRESA SPAMTITAN na revista Info de Julho de 2011

Info é a revista de tecnologia número 1 do Brasil. Mais de meio milhão de pessoas buscam em Info informações quentes sobre tendências, tecnologia e internet.

Veja abaixo o anúncio da DANRESA divulgado na revista Info, edição 305, mês de julho de 2011, na página 5 do Caderno i:

Campanha DANRESA Julho de 2011

Publicado na seguinte mídia:

revista Info, ed. 305, em jul/2011
Acesse o site oficial SpamTitan, da DANRESA: www.spamtitan.com.br


Pequenas empresas são foco de terceirização de serviços

Provedoras de data centers registram forte demanda; redução de custos atrai

terceirização DANRESA

As pequenas e médias empresas são a grande aposta, atualmente, das companhias que oferecem a terceirização de data centers (centros de processamento de dados). O mercado vem em forte crescimento, sobretudo com a difusão do conceito chamado cloud computing (em inglês, computação em nuvem), que são os serviços em tempo real oferecidos e utilizados via internet.

A provedora de tecnologia de informação Danresa, de Santo André, que oferece esses serviços, observa a demanda aquecida. A procura por parte das pequenas empresas no ano passado aumentou cerca de 60% a 70%. No total, a companhia, que também tem outras atividades (service desk, desenvolvimento de softwares etc), cresceu em vendas 20% em 2010 e deve ter expansão de mais 50% neste ano, impulsionada por aquele nicho, segundo o diretor comercial, Nilo Porta.

Por sua vez, a companhia Hostlocation, sediada em São Paulo, teve em 2010 crescimento de 52% no faturamento (passou a R$ 3,5 milhões) frente a 2009. O diretor executivo, Marcelo Safatle, assinala que a expansão se deveu às PMEs e em grande parte à terceirização de data centers. "Registramos crescimento de 39% na demanda por links de fibra óptica no primeiro trimestre deste ano quando comparado ao mesmo período de 2010", afirma.

Ele explica que existia demanda reprimida de empresas de pequeno e médio portes que ainda não eram atendidas tanto por fatores como preço acima de suas possibilidades, quanto pela falta de fornecedores que atendessem adequadamente suas necessidades.

O diretor de operações da Danresa, Renato Porta, cita ainda que, no caso do cloud computing, há a vantagem de o cliente não precisar investir na compra de infraestrutura, como servidores (computadores de grande porte) e outros itens. "A maioria opta por sistemas em nuvem, em que oferecemos a disponibilidade 24 horas, mecanimos de redundância (se um servidor cair, outro mantém a operação), backup e ferramentas antispam poderosas", afirma.

O executivo da Danresa cita que muitas empresas terceirizam, por exemplo, a gestão de seus sistemas de e-mail. Ele exemplifica que o custo, incluindo o suporte técnico, de pacote para empresa com dez computadores para hospedagem de e-mail, com segurança e monitoramento, é de R$ 590 por mês.

As vantagens da terceirização dos serviços de TI vão além do custo. A Vetor Web, que desenvolve e faz a gestão de conteúdo de sites, ainda não adotou o cloud computing, pois mantém estrutura própria de 14 servidores dentro das instalações da Hostlocation.

O diretor da Vetor, Ernesto Laborini, afirma que essa opção já propicia suporte técnico e melhor segurança contra queda de rede. No entanto, afirma que há intenção de passar para o sistema em nuvem, utilizando os equipamentos da parceira. "Aumentará minha tranquilidade e vou poder me concentrar nos negócios", diz.

Matéria publicada nas seguintes mídias:


www.dgabc.com.br
em 16/06/2011
Conheça os serviços de Outsourcing, Virtualização e Antispam da DANRESA.


DANRESA investe na capacitação dos funcionários para driblar falta de profissionais qualificados no mercado de TI

A falta de profissionais de tecnologia da informação capacitados no mercado de trabalho levou mais uma empresa, desta vez a DANRESA, consultoria em TI, a adotar ações focadas na qualificação dos funcionários.

Segundo Daniel Porta, sócio-diretor da empresa, mais de 10% da equipe já recebeu bolsas de estudos integrais e parciais de cursos técnicos, graduações e pós-graduações; como garantia, os profissionais se comprometem a não abandonar o curso. A DANRESA também investe em treinamentos como boas práticas de relacionamento com o cliente e etiqueta empresarial.

“Sabemos da importância da capacitação e incentivamos nossa equipe a ir além de conhecimento técnico. Queremos que os nossos funcionários tenham sensibilidade para fazer o diagnóstico de novas oportunidades de negócios nos clientes que estão alocados. Assim, impulsionamos o crescimento do profissional e da empresa”, explica.

Esse é o caso de Cauê Henrique, analista de redes júnior da DANRESA. Ele está fazendo um curso técnico de MCITP Server Administrator desde fevereiro, pago integralmente pela DANRESA. “Quando decidi fazer o curso, conversei com os gestores da empresa, que me ofereceram a bolsa. Com certeza essa experiência vai melhorar a qualidade do meu serviço, além de trazer perspectiva de aumento no meu salário”, explica Cauê.

Para ajudar nessa capacitação, a empresa firmou parcerias com universidades do ABC Paulista, onde a DANRESA está localizada. As principais são o Instituto de Ensino Superior Santo André (Iesa) e a Universidade Metodista de São Paulo (Umesp), quefornecem descontos nos cursos para os funcionários da empresa e a indicam para alunos que procuram empregos. “Essas parcerias são importantes, pois, compreendendo as necessidades das empresas, podemos adequar nossos cursos ao mercado”, diz a professora Marli Donizeti de Oliveira, gerente do Núcleo de Educação Continuada e Corporativa da Umesp.

Outros títulos da matéria:

Empresa de TI adota parceria com universidades para driblar o apagão profissional

DANRESA investe na capacitação dos funcionários

Matéria publicada nas seguintes mídias:


www.pqn.com.br
em 25/05/2011

www.zemoleza.com.br
em 26/05/2011


Cloud Computing e IaaS reduzem custos de empresa de manufatura

A DANRESA anuncia os bons resultados de um projeto de cloud computing e infraestrutura como serviço, ou IaaS (infrastructure-as-a-service), implementado na Focus Tecnologia de Plásticos, empresa especializada em desenvolver soluções e manufatura de componentes e conjuntos plásticos para indústrias automotiva e de linha branca. Com faturamento de R$ 92,3 milhões, 800 colaboradores e cerca de 150 usuários de e-mail, a Focus estima uma redução de cerca de 20% em seus custos de TI com a adoção dessas tecnologias.

A Focus possui seis plantas e cada uma delas contava com um ambiente composto por servidores de rede, ERP, e-mail, anti-spam, anti-vírus, proxy e firewall. Ao todo, eram 48 servidores, incluindo as contingências. Em meados do ano passado, os servidores começaram a apresentar problemas recorrentes de hardware, impactando a produtividade da Focus. A empresa foi percebendo que manter todo esse ambiente, com a necessidade de investimento constante em atualização tecnológica de hardware e software, iria se tornar dispendioso demais, além de não ser core business. Foi então que, em setembro do ano passado, a Focus definiu em parceria com a DANRESA a adoção do projeto de cloud computing e IaaS. A Focus levou para a nuvem todo o seu sistema de comunicações (servidor de e-mail e o sistema anti-spam), e adotou a infraestrutura como serviço para os servidores de proxy e firewall.

“Aproximadamente 50% de nossos chamados no Service Desk eram relacionados a problemas de spam. Agora que levamos o anti-spam para a nuvem, praticamente eliminamos esse tipo de incidente”, afirma o gerente de TI da Focus, Gabriel Lima da Silva Dias Neto. O projeto de cloud também trouxe evolução para o sistema de e-mail, que antes era Exchange 2003 e agora é Exchange 2010. Tanto o servidor de e-mail quanto o de anti-spam estão em um data center DANRESA. De acordo com Dias Neto, os próximos passos são levar para a nuvem o servidor de ERP.

Já a adoção de IaaS é vista pelo gerente de TI da Focus como um ganho em termos de segurança e garantia de economia, pois o equipamento e os custos de manutenção ficam a cargo da DANRESA. “Sem a IaaS, teríamos que investir em novos servidores de proxy e firewall, o que não era financeiramente a melhor alternativa”, completa Dias Neto.

Ele ressalta também a importância dos ganhos não mensuráveis financeiramente. “Agora tenho produtos de melhor qualidade em todos os níveis, proxys, anti-spams, etc. Tenho também muito mais novos recursos de mobile com os sistemas implantados, o que aprimora a produtividade da empresa”.

Outros títulos da matéria:

Focus Tecnologia implementa projeto de Cloud e IaaS

Focus Plásticos reduz em 20% custos com TI

Cloud Computing e Infraestrutura como serviço (IaaS) reduzem em 20% custos de TI de empresa de manufatura

Matéria publicada nas seguintes mídias:


www.tiinside.com.br
em 04/04/2011

www.pqn.com.br
em 18/04/2011


DANRESA facilita BI para segmento PME com serviço de relatórios estratégicos

A DANRESA - consultoria de TI com mais de 12 anos de experiência no mercado – tem acompanhado a dificuldade das empresas de pequeno e médio porte de ter acesso fácil e seguro às suas informações de negócios que, na maioria das vezes, encontram-se em vários formatos e locais distintos, como arquivos, sites, bases de dados e aplicações.

Para auxiliar as empresas nesse desafio, dinamizando o acesso à informação e facilitando a tomada de decisões, a DANRESA formatou um pacote de serviços de consultoria que vai do mapeamento do ambiente das empresas e de suas necessidades de negócios até a criação e oferta de relatórios dinâmicos e estratégicos. O objetivo desse pacote de serviços é disponibilizar as principais informações para a tomada de decisões de negócio, por meio de relatórios, indicadores e gráficos dinâmicos para toda a empresa de forma segura e controlada. É possível mesclar relatórios, gráficos e indicadores em uma mesma visão.

“É o cliente quem diz à DANRESA que informações devem ser contempladas nesses relatórios e de que modo elas devem ser exibidas e visualizadas. O mercado PME muitas vezes não tem como investir em uma ferramenta de BI (Business Intelligence), mas para se manter competitivo precisa desse conceito para ter à mão suas principais informações de negócios, não importa onde elas estejam”, analisa o sócio-diretor da DANRESA, Daniel Porta.

De acordo com o executivo, a DANRESA faz integração com SAP, MICROSIGA, DATASUL, aplicações internas, arquivos Excel, CSV, TXT, XML, interfaces, serviços, web services, base de dados Oracle, SQL Server, Access, Sybase, MySQL, DB2, entre outros. “Fazemos essa integração e oferecemos relatórios personalizados para cada cliente”, reforça Daniel Porta.

Os relatórios podem ser publicados em ambiente WEB, acessados via browser, intranet ou internet, hospedados na infraestrutura do cliente, ou no Data Center da DANRESA.

Ferramentas de colaboração – Outra oferta da DANRESA é o serviço que inclui a disponibilização de ferramentas de colaboração, a fim de garantir o acesso a informações e relatórios de forma unificada por toda a empresa por meio de portais colaborativos. Para isso, a DANRESA oferece um serviço baseado no Microsoft SharePoint, uma plataforma para compartilhamento de informações e trabalhos em equipes, comunidades ou processos que envolvem pessoas.

Outros títulos da matéria:

Danresa: BI para segmento PME com serviço de relatórios estratégicos

Matéria publicada nas seguintes mídias:


www.itweb.com.br
em 06/04/2011

www.tiinside.com.br
em 11/04/2011


Service desk: 7 técnicas para melhorar desempenho

Análise e gravação de informações estão entre pontos citados

A empresa de consultoria de TI DANRESA criou sete técnicas de qualidade que devem ser observadas pelas empresas que querem melhorar a qualidade dos seus contratos de Service Desk.

Veja abaixo quais são os passos criados pela companhia.

1. Resolução de mais de 80% dos incidentes via atendimento remoto: por uma simples questão de ganho de tempo e produtividade, quanto mais rapidamente os serviços forem restabelecidos para os usuários, sem a necessidade de deslocamentos de profissionais, menores serão os impactos nos negócios causados por falhas na área de TI.

2. Gravação telefônica e filmagem dos atendimentos: é crucial que todos os atendimentos sejam registrados pelo sistema de telefonia e também por uma ferramenta de service desk que filme tudo o que foi feito remotamente pelo analista na máquina do usuário. Só dessa forma é possível garantir auditorias e trabalhos de melhoria contínua no atendimento prestado pelos analistas aos clientes.

3. Análise minuciosa e em tempo-real dos chamados: o fornecedor de Service Desk deve garantir que haja uma área de qualidade designada a monitorar o atendimento que está sendo realizado pelos analistas. Eles devem ser treinados para ser detalhistas quando efetuam o registro ou transferência de um incidente para o segundo nível e as soluções devem ser descritas com todos os passos envolvidos no processo de correção do problema, de forma que qualquer atendente que acompanhe o incidente saiba o que está ocorrendo sem a necessidade de perguntar a quem efetuou o atendimento.

4. Pesquisa de satisfação: todo chamado registrado no sistema de Service Desk deve ser pontuado, ou seja, o usuário deve ser convidado a dar uma nota ao atendimento. Com isto, consegue-se avaliar o nível de satisfação dos usuários e realizar trabalhos baseados nessa avaliação.

5. Relatórios mensais para o cliente: o fornecedor de Service Desk deve informar via relatórios e indicadores mensais quais são os maiores problemas registrados durante o período, auxiliando o cliente a traçar suas estratégias e investimentos para a área de TI.

6. Avaliação periódica dos analistas: Periodicamente, os analistas do Service Desk devem passar por uma avaliação que permita saber se há necessidade de reciclagem, treinamento, motivação, etc.

7. Garantia de redução no número de problemas de TI: com o envio periódico de relatórios aos clientes, o fornecedor de Service Desk pode demonstrar mês a mês para o cliente a quantidade de chamados e como se deu a resolução dos incidentes de TI. Com técnicas e critérios de qualidade, o fornecedor consegue garantir que os incidentes e problemas de Informática sofrerão uma queda gradativa, melhorando a produtividade de toda a corporação.

Outros títulos da matéria:

Sete técnicas de qualidade em Service Desk

Técnicas de qualidade em service desk

Matéria publicada nas seguintes mídias:


www.itweb.com.br
em 18/03/2011

www.callcenter.inf.br
em 06/03/2011


Terceirização de TI segue em alta

DANRESA Consultoria de Informática é destaque no caderno de economia do Diário do Grande ABC em matéria sobre Outsourcing de TI.

O outsourcing, ou seja, a terceirização de TI (tecnologia de informação) para empresas é tendência que tem se fortalecido, segundo especialistas.

A consultoria especializada IDC Brasil projetou para 2010 crescimento estimado de 7% nesse segmento, como resultado dessa demanda crescente por virtualização e automatização do sistema de tecnologia, o que inclui a contratação de serviços de data centers (centros de processamentos de dados) e de soluções baseadas em cloud computing (em inglês, computação em nuvem, em que há o armazenamento de informações na internet), por exemplo.

O lema do mundo corporativo tem sido, cada vez mais, focar na atividade principal e passar outras atividades para empresas especializadas.

Antenada com essa tendência, uma das companhias do setor, a DANRESA, de Santo André, não só acompanha como cresce acima do mercado, angariando clientes de renome, como Basf, CVC, Instituto Ayrton Senna e Ernst Young, entre outros.

Fundada há 12 anos, por Nivaldo Porta, na época executivo de TI em uma grande multinacional, a empresa vem se consolidando em um setor em ascensão. Cresceu 20% em 2010 frente a 2009 e, neste ano, deve ganhar impulso ainda maior, afirma o diretor de negócios, Nilo Porta (que é irmão de Nivaldo).

Atualmente, a companhia, que é familiar, já conta com cerca de 100 funcionários próprios e atende cerca de 130 clientes espalhados pelo País. E tem atuação em duas frentes: fábrica de softwares sob medida e service desk, de apoio ao usuários.

Na primeira área, um dos casos de sucessos foi o desenvolvimento de programa tintométrico, para a Suvinil, que permite que o consumidor obtenha a mesma cor em qualquer revendedor.

Em service desk, a companhia de TI tem apostado na virtualização de equipamentos dos clientes. Recentemente foi contratada pela Eurobras, para a troca de servidores. Além disso, possui data center que hospeda sistema de e-mails (a chamada computação em nuvem) e é dotado de antivírus e antispam.

A terceirização do suporte abrange equipes de analistas especializados para monitorar os servidores dos clientes - "para saber se o HD (disco rígido) está chegando no limite, por exemplo", resolver problemas de softwares à distância ou, se for defeito de hardware, despachar técnicos para os locais.

O diretor de negócios assinala ainda que, em um mercado competitivo, formado por grandes empresas, como IBM e HP, e por muitas pequenas sem qualificação, a DANRESA vem ganhando espaço e deve fazer contratações neste ano. Suas perspectivas são promissoras.

Matéria publicada na seguinte mídia:


www.dgabc.com.br
em 06/03/2011


Avanço da tecnologia exige especialização

DANRESA Consultoria de Informática foi destaque no caderno Campus & Carreira - Carreiras da Internet do Diário do Grande ABC.

Graduação e experiência no setor ajudam família em negócio próprio

A família Porta - Nivaldo, o pai, 57 anos; Daniel, filho mais velho, 33 anos, e Renato, o mais novo, 28 anos - é o exemplo de que o setor de informática tem futuro promissor para quem se dedica nos estudos.

Os três têm formação na área tecnológica. Nivaldo iniciou na carreira de Tecnologia da Informação e levou o interesse para a família.

Os filhos, Daniel e Renato, desde o Ensino Médio já buscaram conhecimento de informática. Daniel graduou-se no setor biológico, mas voltou para a área. "Temos de estudar todos os dias. Sempre temos coisas novas. Isso move o mercado das empresas de tecnologia."

Renato fez Ciência da Computação, mas também não pode dar-se ao luxo de cruzar os braços. "Apenas a graduação não basta. Precisa ter inglês fluente e estar ligado em tudo."

A experiência na área tecnológica e estudos constantes ajudaram os três a abrirem o próprio negócio. Nivaldo, Daniel e Renato também valorizam, entre seus funcionários, a constante atualização. A empresa paga aos estagiários, que trabalham nas diversas áreas de informática, salário inicial de R$ 1.000,00, além de cursos de capacitação.

Matéria publicada na seguinte mídia:


www.dgabc.com.br
em 25/10/2009


DANRESA amplia equipe comercial com foco em médias e grandes empresas

A DANRESA, consultoria de TI (Tecnologia da Informação) com mais de 12 anos de experiência, anuncia a contratação de Gilberto Bispo para o cargo de gerente de Negócios. O executivo tem 25 anos de experiência na área de TI, atuando principalmente em parcerias estratégicas, prospecção de novos clientes e gerenciamento de clientes de médio e grande porte. Consolidou sua carreira em empresas como Capitani Solution, ChipTek, Computeasy e Spread Soluções em TI. Na DANRESA, Gilberto vai trabalhar sobretudo na abertura de novos negócios em médias e grandes contas. O executivo é formado em Administração de Empresas pelas Faculdades Integradas Campos Salles.

Além dessa contratação, a DANRESA também anuncia que está em busca de novos profissionais de Vendas para ampliar sua equipe comercial. O plano de expansão da empresa prevê a contratação de novos profissionais ao longo de 2011 e a entrada cada vez maior no segmento de médias e grandes empresas, sobretudo no Estado de S. Paulo.

Matéria publicada nas seguintes mídias:


www.itweb.com.br
em 22/02/2011


5 dicas contra e-mails indesejados

Pesquisas apontam que o Brasil é um dos primeiros do ranking no envio global de spams e que um em cada três e-mails que chegam à caixa postal é spam. Esse lixo eletrônico pode custar anualmente para as empresas R$ 1,5 mil por funcionário, de acordo com os dados da consultoria Nucleus Research. Em um levantamento feito com 849 usuários de e-mail corporativo nos EUA, a consultoria concluiu que o número de mensagens consideradas lixo eletrônico chega a 66%. Como resultado desse volume, os usuários gastam 16 segundos identificando e apagando cada mensagem indesejada, o que representa, de acordo com a consultoria, um custo anual de US$ 70 bilhões somente nos Estados Unidos.

A DANRESA, consultoria de TI (Tecnologia da Informação) com mais de 12 anos de experiência no mercado, tem continuamente alertado sua base de clientes e prospetcs sobre a perda de tempo e produtividade causada por e-mails indesejados que chegam via correio eletrônico dos funcionários, incluindo spams, trojans e phishings, entre outros conteúdos. Para reforçar a questão, a DANRESA listou os cinco principais passos para que as companhias minimizem o problema e assim tenham um ambiente de TI mais seguro.

1-) Estabelecer uma política sobre o uso de e-mail. Cada empresa deve definir internamente que tipo de conteúdo via e-mail será permitido e proibido de acordo com sua área de atuação. Para algumas, por exemplo, anexos pesados de fotos ou vídeos não fazem parte do dia-a-dia das tarefas e podem, conseqüentemente, ser barrados. Já se a empresa for uma agência de publicidade, por exemplo, a proibição mencionada não faz sentido. O importante é que cada companhia estabeleça uma política e a repasse aos funcionários, inclusive por escrito, para que todos tenham ciência do que podem enviar e receber via e-mail corporativo.

2-) Ter um anti-spam integrado ao antivírus. Apesar do risco que é navegar na Internet sem ferramentas de proteção, muitas empresas ainda descuidam quando o assunto é atualização constante do antivírus. Com soluções anti-spam, a situação não é muito diferente e a prática também precisa ser disseminada de forma generalizada no ambiente corporativo. O ideal é contar com um anti-spam integrado ao antivírus, uma vez que as mensagens indesejadas podem estar repletas de pragas cibernéticas.

3-) Configurar o anti-spam de acordo com as melhores práticas do mercado. O ideal é que a ferramenta de anti-spam escolhida pela empresa não seja engessada, para que possa ser customizada de acordo com sua política e também configurada de acordo com as melhores práticas de mercado, como por exemplo, a que verifica se um link em um e-mail tem o IP do domínio que diz ser.

4-) Definir Black e White lists de remetentes. É importante ter a lista de remetentes proibidos que sabidamente só existem para propagar spams, assim como a lista de remetentes confiáveis. Alguns softwares já fornecem listas predefinidas, mas é importante que cada empresa vá atualizando as suas.

5-) Permitir a gestão do usuário no dia-a-dia. Tão problemático quanto receber um grande volume de e-mails indesejados é ter uma mensagem importante barrada. Assim, uma ferramenta anti-spam eficiente deve permitir a interação do usuário, enviando diariamente a lista de e-mails bloqueados para que ele valide se o que está ali é de fato spam ou se há algum conteúdo útil que por algum motivo foi barrado.

Matéria publicada nas seguintes mídias:


www.itweb.com.br
em 07/12/2010

www.odebate.com.br
em 07/12/2010

www.maisdicas.net
em 10/12/2010

www.dihitt.com.br
em 10/12/2010

www.arcauniversal.com
em 12/12/2010

www.rhcentral.com.br
em 15/12/2010


Eurobras conclui projeto de virtualização

A Eurobras, líder de mercado especializada na fabricação e fornecimento de soluções habitacionais metálicas, atendendo ao mercado nacional e internacional, constatou no início de 2010 que 99% dos problemas críticos relacionados ao uso de sistemas de informação ou recursos de tecnologia tinham ligação com hardware, o que gerava a paralisação de servidores e, consequentemente, impactavam o funcionamento do ERP SAP, o sistema de e-mail e o acesso à Internet, entre outras funções fundamentais ao dia-a-dia dos negócios da empresa.

Adicionalmente, a empresa começou a traçar, em março do ano passado, um plano de crescimento e consolidação que tinha como pré-requisito uma revisão e adequação de todos os seus processos de negócios, operacionais e de suporte, incluindo os relacionados a Sistemas de Informação e Tecnologia. A revitalização dos processos de TI foi uma das frentes deste projeto de revisão e melhoria de processos, levando a Eurobras a contratar a DANRESA, uma consultoria especializada.

A Eurobras contava com 12 servidores montados em sua matriz, localizada em Santo André (SP). Para diminuir a ocorrência dos problemas de TI, e assim aumentar a produtividade, a empresa tinha como opção substituir todos os seus 12 hardwares montados pela mesma quantidade de equipamentos de marcas consideradas de primeira linha e com arquitetura adequada para uso ininterrupto, como servidores de aplicação e rede. Foi estruturado então um projeto de avaliação de alternativas que contemplasse os requisitos de negócio de disponibilidade, confiabilidade e custos. O projeto produziu um estudo de viabilidade com três cenários:

• Outsourcing de todo ambiente de TI, com fornecimento de equipamentos e serviços de operação, manutenção e suporte na base de contrato de serviços, evitando assim novos investimentos (Hosting)
• Outsourcing de todo ambiente de TI, mas com fornecimento dos servidores pela Eurobras, que faria os investimentos (Colocation)
• Revitalização do CPD Eurobras, com investimentos em reforço de infraestrutura, aquisição de novos equipamentos e manutenção do contrato de suporte e manutenção com a DANRESA.

“O ultimo cenário, num estudo para dois anos, mostrou-se mais vantajoso e fizemos o desdobramento em dois estudos: viabilidade e custos da aquisição de servidores individuais por ambiente sistêmico, ou aquisição de dois servidores maiores e uso de virtualização, ambos visando a uma alta disponibilidade e performance. O cenário escolhido foi o de virtualização” explica Iara Pires, Diretora de TI da Eurobras.

Virtualização como melhor alternativa – Virtualizar o ambiente de TI com a tecnologia VMWare foi a melhor alternativa proposta pela consultoria de TI DANRESA. “O projeto durou cerca de dois meses e hoje a estrutura da Eurobras possui apenas dois servidores bastante robustos virtualizados e mais um storage, garantindo alta disponibilidade, estabilidade e redundância de fontes, discos HD e processadores”, afirma o sócio-diretor da DANRESA, Renato Porta.

Além destes benefícios, a Eurobras também tem a flexibilidade de criação de novos ambientes, acomodando necessidades de expansão geográfica, com a criação de novas filiais e também a migração para o SAP das demais empresas do Grupo: Dynaplan sediada no Rio, e Planeta Saneamento, que comercializa sanitários químicos móveis, sem necessidade de aquisição de equipamentos adicionais.

Além de conseguir promover o crescimento de capacidade computacional dentro de um mesmo espaço físico no datacenter, a Eurobras também estima uma economia de 73% no consumo de energia elétrica. Com a finalização do projeto de virtualização na matriz, a empresa agora fará a replicação deste modelo para as principais filiais.

Outros títulos da matéria:

Eurobras: de 12 para 2 servidores com VMware

Eurobras conclui projeto de virtualização com estabilidade e redundância no ambiente de TI

Matéria publicada nas seguintes mídias:


www.itweb.com.br
em 20/01/2011

www.baguete.com.br
em 20/01/2011

www.tiinside.com.br
em 06/12/2010


Virtualização no Brasil: qual o tamanho do mercado a ser explorado

por Renato F. Porta - Sócio Diretor da DANRESA

Não há dúvidas de que, globalmente, a tecnologia de virtualização, capaz de potencializar a capacidade de processamento dos servidores de rede, já se popularizou no ambiente corporativo, tendo ainda muito a crescer nos mais diversos perfis e tamanhos de empresas. Previsões do Gartner apontam que 55% de toda a nova carga de trabalho no mundo será feita em servidores virtuais neste ano, contra 40% em 2009. Em relação às cifras, a consultoria calcula que o mercado mundial de virtualização vai chegar a US$ 4,2 bilhões em 2013 e se, as projeções se confirmarem, a movimentação em 2010 será de US$ 2,1 bilhões.

Mas e o Brasil, como está caminhando na adoção desta tendência que, globalmente, tem se mostrado irreversível? Bem, felizmente já podemos afirmar que por aqui a virtualização está cada vez mais perdendo o status de tendência para ser vista como realidade.

Obviamente, essa movimentação tem mais força entre as grandes corporações, mas já se percebem avanços também no segmento PME. A disponibilidade de produtos gratuitos, como o VMware Server e XEN (open source), entre outros, mesmo que com funcionalidades limitadas em comparação às versões pagas, facilitam a experimentação da tecnologia e ajudam a quebrar as resistências.

Promover o conhecimento sobre a virtualização e seus benefícios talvez seja o maior desafio a ser superado no mercado nacional. O suporte de mais de 90% de servidores em uma solução virtualizada é outro fato que tem contribuído significativamente para alavancar a tecnologia.

Para se ter uma ideia, o Brasil já representa atualmente aproximadamente 55% do volume de vendas da VMWare na América Latina. Empresas dos segmentos de Finanças, Governo, Telecomunicações e Data Centers são as que mais têm puxado esse movimento, mas, conforme dito anteriormente, a adoção vem gradativamente se espalhando para outras indústrias, inclusive entre as PMEs. Dados de mercado indicam que o volume de vendas da VMWare na América Latina corresponde a cerca de 5% do montante mundial, revelando o quanto ainda há de espaço para crescimento da tecnologia entre as empresas brasileiras.

Ou seja, a virtualização ficará com uma boa fatia dos investimentos em TI para 2011, à medida que forem crescendo o amadurecimento e a confiança quanto à instalação da tecnologia. Hoje já se nota no mercado que a aceitação aos servidores virtualizados vem crescendo inclusive para aplicações críticas, como as de ERP. O amadurecimento da tecnologia de virtualização dá garantia às empresas de que o nível de proteção é alto.

E por que, afinal, a virtualização é tão atrativa assim? Quais os benefícios concretos? Economia de recursos é, possivelmente, a resposta mais completa para a questão. Não podemos nos esquecer de que cada servidor possui sua fonte de alimentação própria. Num ambiente de virtualização, o número de servidores de uma companhia cai incrivelmente, uma vez que a tecnologia consolida e centraliza aplicações, tirando o máximo de aproveitamento dos recursos existentes.

Assim, economiza-se com aquisições futuras de hardware, refrigeração e energia elétrica. A forma de se fazer back up, algo sempre preocupante e custoso para a área de TI, também é otimizada em um ambiente virtualizado.

E então, é ou não um bom negócio apostar na tecnologia de virtualização? As empresas que optaram por essa iniciativa não se arrependem...

*Renato Porta é sócio-diretor da DANRESA, consultoria de TI com mais de 12 anos de experiência no mercado.

Matéria publicada nas seguintes mídias:


www.itweb.com.br
em 24/11/2010

www.hostne.ws
em 24/11/2010

www.adnews.com.br
em 24/11/2010


DANRESA torna-se representante da SpamTitan no Brasil

A DANRESA, consultoria de TI com mais de 12 anos de experiência no mercado, fechou uma parceria com a empresa SpamTitan (http://www.spamtitan.com/), especializada em soluções de segurança virtual.

Com o acordo, a DANRESA torna-se canal de venda da SpamTitan no Brasil, capacitando-se a oferecer a seus clientes ferramentas completas de proteção contra vírus, spam, trojans, phishing e conteúdo indesejado. Além do software SpamTitan, a DANRESA vai comercializar o WebTitan, solução Web Filtering para um gerenciamento eficaz da utilização dos recursos de Internet.

Como representante autorizada da SpamTitan no Brasil, a DANRESA é capaz de fornecer todo o suporte necessário para o andamento de testes de avaliação e implantação efetiva no cliente. O software é comercializado através da instalação de um appliance perfeitamente customizado para o ambiente dos clientes, na forma de comodato, com suporte e manutenção por todo o período contratado.

“Além disto, conseguimos oferecer preços diferenciados aos encontrados no site, juntamente com a facilidade de pagamento em reais, possibilitando uma implantação a custos mais competitivos”, explica o Diretor Executivo de Negócios da DANRESA, Nilo Porta.

Matéria publicada na seguinte mídia:


www.itweb.com.br
em 10/11/2010


Consultoria aposta em desenvolvimento e outsourcing de TI para crescer

A DANRESA, consultoria de TI com mais de 12 anos de experiência no mercado, está com uma estratégia de crescimento ancorada na conquista de novos clientes sediados sobretudo no Estado de São Paulo. A consultoria está buscando empresas que tenham mais de uma planta - tanto entre as grandes corporações como no segmento PME - e que necessitem de soluções avançadas de Outsourcing de TI.

Como atua em todo o território nacional, a DANRESA tem capacidade de atender de forma centralizada companhias que tenham unidades ou filiais espalhadas pelo Brasil.

Além da área de Outsourcing, a DANRESA possui outra linha de serviços voltada ao Desenvolvimento de Sistemas personalizados. "Quanto mais específico é o negócio do cliente, maior é sua necessidade por sistemas de TI desenvolvidos sob demanda, e não ferramentas de mercado", afirma o Diretor de Negócios da DANRESA, Nilo Porta.

Ainda segundo o executivo, essas duas principais áreas de atuação da DANRESA, Outsourcing e Desenvolvimento, se complementam entre si e podem potencializar oportunidades em novos clientes. "Crescemos nos últimos anos aumentando nossos projetos em clientes que já eram de nossa base, complementando os serviços oferecidos. Agora estamos voltados à conquista de novos clientes e acreditamos que esse portfólio complementar vai seguir alavancando nossos negócios", destaca.

Matéria publicada na seguinte mídia:



DANRESA é a mais nova cliente BRSA

A BRSA iniciou em setembro os trabalhos de assessoria de comunicação e relacionamento com a imprensa para a DANRESA Consultoria de TI. Com mais de 12 anos de experiência no mercado, a empresa tem atuação em todo o território nacional oferecendo serviços em Desenvolvimento de Sistemas e Infraestrutura/Outsourcing.

Com cerca de 400 colaboradores e 100 clientes, a DANRESA atende empresas como Avape, Alves Feitosa Advogados, Basf (Suvinil), CBC, CVC, Ernst Young e Eurobras. Na BRSA - branding and sales, a coordenação de imprensa é de Márcia Becker. mbecker@brsa.com.br 11- 5501.4007 / 8472.9941

Matéria publicada na seguinte mídia:

Rua Dr. Siqueira, 43
Vila Helena - Santo André - SP
CEP 09175-380

Tel.: 55 11 4452-6450 / 55 11 4063-7004
Fax.: 55 11 2379-7669

  • Redes Sociais DANRESA

    Google Plus DANRESA
    facebook DANRESA
    Twitter DANRESA
    Linkedin DANRESA
    Flickr DANRESA

Certificações e Parcerias

Microsoft Partner    Juniper Partner    Fortinet Partner
SpamTitan Partner    WebTitan Partner    PRTG Partner